O presidente do Sindicato da Alimentação, Tiago Gonçalves Pereira, coordenou nos últimos dias o fechamento de mais dois acordos salariais de trabalhadores da região. O dirigente fechou os acordos para o setor de pesca e os de massas alimentícias. Os dois acordos foram fechados em conjunto com a Federação da Alimentação, em São Paulo.  No setor de pesca o reajuste foi de 2.94%, o piso passou para R$ 1.608,95 e o ticket alimentação/cesta básica para R$ 175,00.  Empresas que não possuam sistema de PLR precisam pagar uma multa aos trabalhadores de R$ 608,37.

 

Já no setor de massas alimentícias o piso salarial dos trabalhadores foi para R$ 1.626,45 e o ticket alimentação/cesta básica para R$ 230,00. O  Sindicato também conseguiu incluir no acordo que empresas que não possuem sistema de PLR paguem uma multa aos seus trabalhadores. Empresas de até 100 funcionários precisam pagar R$ 810,00, enquanto que empresas com mais trabalhadores pagarão R$ 973,00.

 

O presidente do Sindicato falou sobre os acordos fechados. “O reajuste nos salários não foi o que queríamos, queríamos bem mais, mas, infelizmente estamos vivendo essa pandemia horrível e existe uma crise em vários setores. É o que venho falando durante todas as negociações que participamos: o foco é manter o que temos de benefícios e tentar avançar”, afirmou Tiago. Os dois acordos possuem como data base 1 de setembro.