O setor patronal das usinas de açúcar ofereceram somente 4% de aumento salarial para os trabalhadores nas indústrias de alimentação do Estado de São Paulo. As negociações coletivas estão em andamento, mas o setor patronal continua sendo bem duro com os trabalhadores. Além de oferecer somente aumento salarial de 4% os patrões querem que a proposta só seja aplicada no salário a partir de novembro. A data base da categoria é 1 de maio. “Não aceitamos. Isso não está nem perto da inflação e ainda querem que o aumento tenha validade só a partir de novembro.  De forma alguma vamos aceitar, queremos ganho real”, afirmou o presidente do Sindicato, Tiago Gonçalves Pereira. Já foram realizadas três rodadas de negociação com o setor patronal. Agora, o Sindicato, a Federação e os demais sindicatos do Estado aguardam uma nova rodada, esperando que o setor patronal ofereça um percentual mais digno. 

O dirigente não acha justo o setor patronal ter ganhos bilionários, como comprovam balanços do ano passado e os trabalhadores ficarem sem aumento real no salário. “Temos os índices de ganhos do setor do açúcar e são ganhos bilionários. E agora oferecem uma proposta indecente. Não, não aceitamos.  Sem falar que no ano passado o setor ficou sem qualquer reajuste. Estamos aguardando agora a nova rodada de negociação”.