O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação de Rio Preto e Região, Tiago Gonçalves Pereira, assinou na última segunda-feira (28) a Convenção Coletiva de Trabalho do setor da panificação. A assinatura foi na sede do Sindicato patronal, em Rio Preto. A convenção tem validade até 31 de agosto de 2020. A data base da categoria é 1º de setembro.   O dirigente falou sobre mais esse acordo fechado como setor patronal.  “Os empresários estão reclamando de crise há muito tempo e acabam não reajustando os salários dos trabalhadores. É muita choradeira, esperamos que isso acabe e que os trabalhadores sejam mais valorizados. Estamos trabalhando para isso”, afirmou o dirigente.  O  piso salarial para padeiro e confeiteiro passou para R$ 1.750 e de R$ 1.380 para demais funções do setor.   Para empresas que  estão enquadradas no Repis, o valor é de R$ 1.610 para padeiro e confeiteiro e de R$ 1.260 para demais funções na categoria. O reajuste salarial para quem ganha acima do piso foi de 3,70%.

O dirigente falou que a realização das homologações continuam sendo feitas, obrigatoriamente, na sede do sindicato. Nesta negociação, um avanço para os trabalhadores, a implantação do vale refeição no valor de R$ 75 nas empresas que não fornecem refeição no local de trabalho e a manutenção da PLR (40% do valor do piso salarial).  “A implantação do vale refeição já começa a valer agora e o pagamento retroativo do reajuste salarial (desde setembro até agora) precisa ser pago até fevereiro”, afirmou Tiago.  O presidente do Sindicato falou também sobre outros benefícios que foram mantidos, como horas extras de 55% e adicional noturno de 30%. “Se dependesse dos patrões retirariam tudo. Conseguimos manter esses benefícios, com bastante luta”.