Sindicato da Alimentação fecha acordo de laticínios, torrefação e moagem

postado em: Notícias | 0

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação de Rio Preto e Região fechou nos últimos dias mais dois acordos coletivos. A entidade, em conjunto com a Federação da Alimentação, fechou o acordo de laticínios, produtos derivados de leite e de café, torrefação e moagem. O presidente da entidade, Tiago Gonçalves Pereira, comemorou mais esses dois acordos, que beneficiam centenas de trabalhadores da região. “Conseguimos avançar bem neste segundo semestre para chegarmos nesses acordos. No primeiro semestre, em maio, tivemos negociações que não foram tão boas como as de agora. Todo ano  é a mesma choradeira terrível do setor patronal, mas sabemos que não é nada daquilo que eles falam. O próprio trabalhador sabe da real situação.  É um avanço. Na próxima semana vamos trazer para os associados outros acordos que estamos fechando. O da panificação, por exemplo que já estamos formalizando também”, afirmou Tiago.

 

No setor de laticínios, o Sindicato conseguiu um reajuste linear de 3% . Com esse aumento, o salário normativo passa a ser a partir de R$ 1.586,50. Nos outros salários o percentual de reajuste ficou em 3%. Na PLR, empresas que não tinham o plano de metas, hoje precisam pagar multa. Na cesta básica houve também reajuste, que passa a ser de R$ 230,00 e o adicional noturno fica em 45%, quando na lei é de apenas 20%. O auxílio refeição diário fica em R$ 9,60. A data base da categoria é 1 de setembro. O acordo vale até 31 de agosto de 2021.

 

Já no setor de café, que tem a mesma data base, o Sindicato conseguiu o reajuste da inflação do período, de 2,94%, nos salários. O piso salarial normativo passa a ser de R$ 1.372,20. E também vale a aplicação da multa de R$ 1.449,39 aos trabalhadores, com pagamento em duas parcelas, uma em outubro e outra em abril de 2021. No acordo ficou estabelecido também reajuste na cesta básica e cesta natalina dos trabalhadores. Para empresas que entregam cestas de até R$ 220,00 o reajuste será de 10% e para empresas que entregam cestas acima de R$ 220,00 o reajuste será da inflação do período.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 2 =